Ânsia

Há pequenas coisas que atiçam o amor
Que nos dão um grande desejo de amar
Uma enorme ânsia de sofrer...


Amantes

Vem!
Vem comigo
Cansados de Amor
Mergulhemos juntos na noite
no silêncio dos Amantes
Amor Amor Amor
Repete comigo
as palavras que nos dão paz...


®Pôesia do Mundo

A minha foto
Le Vésinet, Yvelines, France
É impossível não se dizer ( no mínimo de letras ) e, ao mesmo tempo, em que não se pode tudo dizer ( no máximo de palavras ). Falar demais: È escancarar detalhes insignificantes da vida doméstica. A minha vida sustenta-se no diário de algumas palavras: Trabalho, Respeito, Ternura, Amizade, Saudades, Amor. PEQUENOS VALORES Viver é acreditar no nascer e no pôr-do-sol É ter esperança de que o amanhã será sempre o melhor É renascer a cada dia É aprender a crescer a cada momento É acreditar no amor É inventar a própria vida... No decorrer desta vida, o prazer, a alegria, a tristeza,a dor, o amor, desfilam em nossa alma e em nosso coração deixando diferentes marcas. São essas marcas combinadas que formam a riqueza da nossa caminhada. Um caminho onde o mais importante não é chegar e sim caminhar. Valorize todos os detalhes, todas as subidas e descidas, as pedras, as curvas, o silêncio, a brisa e as montanhas deste seu caminho, para que você possa dizer de cabeça erguida, no futuro: Cresci Chorei Sorri Caí Levantei Aprendi Amei Fui Amado Perdi Venci Vivi E, principalmente, sou uma pessoa feliz!




segunda-feira, 15 de junho de 2009

Dias felizes


Dias felizes.


O tempo passa e não olha,
A tristeza de ninguém,
Não importa se alguém chora,
Com saudade de alguém.

Relembro os dias felizes
Até ouço as gargalhadas,
Das histórias pitorescas,
Em noites enluaradas.

Como era doce sentir,
A brisa leve no rosto.
As lindas noites serenas,
O vento do mês de agosto.

Mas o tempo indiferente,
Foi passando sem parar.
E foi assim que de repente,
Passou sem eu reparar.

Do doce tempo de outrora,
Só ficou recordação,
E essa triste saudade,
Que trago em meu coração.

Lembranças da minha casa,
Do almoço de domingo.
Dos meus pais, minha família.
Dos amigos reunidos.

Agora nada mais resta,
Da juventude distante,
Daqueles dias felizes,
Nada é como era antes,


Inez Freitas

2 comentários:

REGGINA MOON disse...

Antonio,

"Lembranças da minha casa,
Do almoço de domingo.
Dos meus pais, minha família.
Dos amigos reunidos."

Simplesmente belíssimo esse Poema, e realmente, nada é como era antes..."

Mas a vida tem de continuar.

Abraços e Boa Semana.

Reggina Moon

.simone disse...

a saudade nos maltrata muito, principalmente quando o sentimento ainda existe, que por maldade do destino continua somente em um coração, e o outro já se foi, já esqueceu,
já não somos mais tão importante assim.

amei o seu texto parecia que estava lendo sobre mim.

bjs de luz.