Ânsia

Há pequenas coisas que atiçam o amor
Que nos dão um grande desejo de amar
Uma enorme ânsia de sofrer...


Amantes

Vem!
Vem comigo
Cansados de Amor
Mergulhemos juntos na noite
no silêncio dos Amantes
Amor Amor Amor
Repete comigo
as palavras que nos dão paz...


®Pôesia do Mundo

A minha foto
Le Vésinet, Yvelines, France
É impossível não se dizer ( no mínimo de letras ) e, ao mesmo tempo, em que não se pode tudo dizer ( no máximo de palavras ). Falar demais: È escancarar detalhes insignificantes da vida doméstica. A minha vida sustenta-se no diário de algumas palavras: Trabalho, Respeito, Ternura, Amizade, Saudades, Amor. PEQUENOS VALORES Viver é acreditar no nascer e no pôr-do-sol É ter esperança de que o amanhã será sempre o melhor É renascer a cada dia É aprender a crescer a cada momento É acreditar no amor É inventar a própria vida... No decorrer desta vida, o prazer, a alegria, a tristeza,a dor, o amor, desfilam em nossa alma e em nosso coração deixando diferentes marcas. São essas marcas combinadas que formam a riqueza da nossa caminhada. Um caminho onde o mais importante não é chegar e sim caminhar. Valorize todos os detalhes, todas as subidas e descidas, as pedras, as curvas, o silêncio, a brisa e as montanhas deste seu caminho, para que você possa dizer de cabeça erguida, no futuro: Cresci Chorei Sorri Caí Levantei Aprendi Amei Fui Amado Perdi Venci Vivi E, principalmente, sou uma pessoa feliz!




domingo, 20 de dezembro de 2009

Sonho Vago






Ó branca e luminosa!

Na alcova quieta e silenciosa
que a penhumbra parece transformar

Num ambiente imaginário
De cidade lacustre ou num aquário.

Teu corpo claro, fino, gransparente,
A se mover preguiçosamente
Como a ondular...

Lembra, nessa nudez que as sombras ilumina,
Sonâmbulo país de águas e brumas,

Visão de uma paisagem submarina,
Em que andas a flutuar...

Como no meio de algas e de espumas
Uma ninfa, sereia ou estrela-do-mar.

Vendo-te assim, meio acordado,
Eu me deixo embalar

Num esquisito, incomparável gozo,
De deleites estranhos inundado.

Crendo que vou contigo a mergulhar,
Num sonho lvoluptuoso,
Por entre espaços fluidos de veludo,

Um país de perfumes e de encanto
Em que de um vago luar o tênue manto
Amacia tudo...

Quantas imaagens brancas me sugeres!
Magnólia, flor dos Alpes, nebulosa...

Branca lua perdida entre as mulheres!
Garça, vela no mar, alvor de rosa!

Ao vê-lo assim, tão claro e leve, eu plenso
Que o teu corpo, a florir na luz cendrada,

Sonha, dentro da noite, o sonho imenso
Que as rosas brancas sonham na alvorada.




Tasso Azevedo da Silveira

1 comentário:

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá meu amigo! Passando para me deliciar com mais uma das tuas belas escolhas. O Tasso foi muito feliz ao criar o "Sonho Vago". Adorei! Muito profundo!

Faço votoe que tenhas um Feliz Natal e um próspero Ano NOvo, repleto de realizações.

Abraços,

Furtado.