Ânsia

Há pequenas coisas que atiçam o amor
Que nos dão um grande desejo de amar
Uma enorme ânsia de sofrer...


Amantes

Vem!
Vem comigo
Cansados de Amor
Mergulhemos juntos na noite
no silêncio dos Amantes
Amor Amor Amor
Repete comigo
as palavras que nos dão paz...


®Pôesia do Mundo

A minha foto
Le Vésinet, Yvelines, France
É impossível não se dizer ( no mínimo de letras ) e, ao mesmo tempo, em que não se pode tudo dizer ( no máximo de palavras ). Falar demais: È escancarar detalhes insignificantes da vida doméstica. A minha vida sustenta-se no diário de algumas palavras: Trabalho, Respeito, Ternura, Amizade, Saudades, Amor. PEQUENOS VALORES Viver é acreditar no nascer e no pôr-do-sol É ter esperança de que o amanhã será sempre o melhor É renascer a cada dia É aprender a crescer a cada momento É acreditar no amor É inventar a própria vida... No decorrer desta vida, o prazer, a alegria, a tristeza,a dor, o amor, desfilam em nossa alma e em nosso coração deixando diferentes marcas. São essas marcas combinadas que formam a riqueza da nossa caminhada. Um caminho onde o mais importante não é chegar e sim caminhar. Valorize todos os detalhes, todas as subidas e descidas, as pedras, as curvas, o silêncio, a brisa e as montanhas deste seu caminho, para que você possa dizer de cabeça erguida, no futuro: Cresci Chorei Sorri Caí Levantei Aprendi Amei Fui Amado Perdi Venci Vivi E, principalmente, sou uma pessoa feliz!




sábado, 14 de fevereiro de 2009

Deseos


Deseos



Desearía que el cielo
fuera de color amarillo
y azul la tierra y de color
naranja el extenso mar.
Que la sangre fuera verde
y muy blanca la noche,
que fuese negra la leche
y rosas las aceitunas.

Quisiera que tus ojos
estuvieran frente a los míos
y tus labios en mi boca
como un ave en su nido.
Que tu cuerpo me roce
y me abrace en el frío,
que me digas "te amo"
con los dedos del destino.

Ojalá pudiera
acariciarte la cara,
morder tus orejas
y lavarte el alma.
Saborear tu cuello,
alzar tus pechos,
asirme a tus piernas
y comerte el corazón.

Desearía tenerte
a mi lado en silencio
y hablarte sin palabras
como en un beso eterno.
Que tu sonrisa
me eleve al piso de arriba
y tus manos me agarren
y me acerquen tu vida.
Quisiera que el mar
fuese duro y de piedra,
las olas de papel,
las nubes de plata.
Que el aire fuera como el agua,
la tierra gaseosa,
de cristal las palmeras
y de oro las gaviotas.

Ojalá pudiera
abrazarte la espalda,
perderme en tus dedos,
besarte el espíritu.
Mecerme en tu pelo,
navegar en tus ojos,
anidar en tu cintura
y morirme en tus dientes.

Ojalá pudiera
acariciarte la cara...




Julián Roas

Sem comentários: