Ânsia

Há pequenas coisas que atiçam o amor
Que nos dão um grande desejo de amar
Uma enorme ânsia de sofrer...


Amantes

Vem!
Vem comigo
Cansados de Amor
Mergulhemos juntos na noite
no silêncio dos Amantes
Amor Amor Amor
Repete comigo
as palavras que nos dão paz...


®Pôesia do Mundo

A minha foto
Le Vésinet, Yvelines, France
É impossível não se dizer ( no mínimo de letras ) e, ao mesmo tempo, em que não se pode tudo dizer ( no máximo de palavras ). Falar demais: È escancarar detalhes insignificantes da vida doméstica. A minha vida sustenta-se no diário de algumas palavras: Trabalho, Respeito, Ternura, Amizade, Saudades, Amor. PEQUENOS VALORES Viver é acreditar no nascer e no pôr-do-sol É ter esperança de que o amanhã será sempre o melhor É renascer a cada dia É aprender a crescer a cada momento É acreditar no amor É inventar a própria vida... No decorrer desta vida, o prazer, a alegria, a tristeza,a dor, o amor, desfilam em nossa alma e em nosso coração deixando diferentes marcas. São essas marcas combinadas que formam a riqueza da nossa caminhada. Um caminho onde o mais importante não é chegar e sim caminhar. Valorize todos os detalhes, todas as subidas e descidas, as pedras, as curvas, o silêncio, a brisa e as montanhas deste seu caminho, para que você possa dizer de cabeça erguida, no futuro: Cresci Chorei Sorri Caí Levantei Aprendi Amei Fui Amado Perdi Venci Vivi E, principalmente, sou uma pessoa feliz!




quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Serenidade


Serenidade


Há muito tempo,

Vida, prometeste
trazer ao meu caminho uma doida alegria
feita de espírito e de chama,
uma alegria transbordante, assim como esse
alvo clarão que se irradia
da orla festiva das enseadas,
e entre reflexos de ouro se derrama
do cântaro das madrugadas.


Eu, que nasci para um destino manso
de coisas suaves, silenciosas, imprecisas,
e que fico tão bem neste obscuro remanso
onde apenas se infiltra um perfume de brisas,
imagino a tremer:

Que seria de mim
se essa alegria
esplêndida, algum dia,
houvesse surpreendido a minha inexperiência!…


A vida me iludiu, mas foi sábia na essência.


Minha alegria deveria ser assim:

Pequenina doçura delicada,
gota de orvalho em pétala de flor,
sempre serena lâmpada velada
que me diluísse as brumas do interior.


Sempre serena lâmpada velada,
símbolo do meu sonho predileto…

Se amanhã tu penderes do meu teto
aureolando minha última ilusão,
para que eu viva em teu amor e em tua paz,
deixa um rastro de sombra pelo chão…

É nesta sombra que hei de me esconder
quando sentir a falta que me faz
a outra alegria que não pude ter!



Henriqueta Lisboa

2 comentários:

REGGINA MOON disse...

Antònio,

Simplesmente comovente todo o conjunto de sua postagem...a música maravilhosa...você e sua rara sensibilidade consegue unir o áudio-visual perfeito, formando um conjunto que emociona!

Parabéns meu amor!

Reggina Moon

Rosemildo Sales Furtado disse...

Minha alegria deveria ser assim:

Pequenina doçura delicada,
gota de orvalho em pétala de flor,
sempre serena lâmpada velada
que me diluísse as brumas do interior.

É meu amigo, é vivendo, aprendendo e conhecendo novas estrelas no campo da poesia. Não conhecia a Henriqueta Lisboa, Grande poetisa. Parabéns pela escolha.

Abraços e uma ótima quinta-feira pra ti.

Furtado.