Ânsia

Há pequenas coisas que atiçam o amor
Que nos dão um grande desejo de amar
Uma enorme ânsia de sofrer...


Amantes

Vem!
Vem comigo
Cansados de Amor
Mergulhemos juntos na noite
no silêncio dos Amantes
Amor Amor Amor
Repete comigo
as palavras que nos dão paz...


®Pôesia do Mundo

A minha foto
Le Vésinet, Yvelines, France
É impossível não se dizer ( no mínimo de letras ) e, ao mesmo tempo, em que não se pode tudo dizer ( no máximo de palavras ). Falar demais: È escancarar detalhes insignificantes da vida doméstica. A minha vida sustenta-se no diário de algumas palavras: Trabalho, Respeito, Ternura, Amizade, Saudades, Amor. PEQUENOS VALORES Viver é acreditar no nascer e no pôr-do-sol É ter esperança de que o amanhã será sempre o melhor É renascer a cada dia É aprender a crescer a cada momento É acreditar no amor É inventar a própria vida... No decorrer desta vida, o prazer, a alegria, a tristeza,a dor, o amor, desfilam em nossa alma e em nosso coração deixando diferentes marcas. São essas marcas combinadas que formam a riqueza da nossa caminhada. Um caminho onde o mais importante não é chegar e sim caminhar. Valorize todos os detalhes, todas as subidas e descidas, as pedras, as curvas, o silêncio, a brisa e as montanhas deste seu caminho, para que você possa dizer de cabeça erguida, no futuro: Cresci Chorei Sorri Caí Levantei Aprendi Amei Fui Amado Perdi Venci Vivi E, principalmente, sou uma pessoa feliz!




segunda-feira, 5 de julho de 2010

Desperta


Desperta




Desperta,
amor,

das plácidas
Margens de meus braços.

Desperta do gozo pleno
Dos meus e dos teus ais.

O tempo corre pra longe
E dormes a noite que te prometi.

Se afago teu corpo,

insaciável,
É que careço do tempo que perdi.

Desperta,

amor,
Já vem tão logo outro dia,
E distante reviverei teus apelos,
E por amor tecerei nossos dias,
Que passados,
Tem pressa do futuro.

Desperta,

amor,
Amanhã não estarei dentro de ti.

E se me levo longe,
Eu sei que ainda estarei por perto,
E por certo ainda.


Habitarás em mim.



Giselle del Pino

3 comentários:

Maria Ribeiro disse...

ANtònio MANUEL: poema lindo, extremamente sensual, de amor vivido na plenitude de todos os sentidos... Só assim compreendo o AMOR! O poeta português do ROMANTISMO( século xix), ALMEIDA GARRETT diz assim:..."e os cinco sentidos/TODOS NUM CONFUNDIDOS..."ABRAÇO DE
LUSIBERO

Fatima disse...

Sempre tão lindo!
Bjs António.

SóJantar disse...

Agradeço a delicadeza das imagens e o carinho em divulgar minhas poesias.
Novas poesias podem ser lidas no livro UMA TARDE EM PARIS, de minha autoria.
Um grande abraço
Giselle Del Pino
gdelpino@zipmail.com.br